Rota do Oeste: números de acidentes na BR-163

Foi informado neste último sábado (20) de junho pela Rota do Oeste, concessionária responsável pelas vistorias de acidentes que são registrados aos 850,9 km da BR-163. Entretanto, o trecho da BR que liga Itiquira a Sinop, a concessionária faz monitoramento entre Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Confirma o site de pesquisa tecnonoticias.com.br.

Rota do Oeste
Imagem: Rota do Oeste-BR-163/tecnonoticias

A Rota do Oeste registrou de Itiquira a Sinop, cerca de 500 acidentes dentro da BR-163. Então foram 35 casos que resultaram em 38 mortes do dia 1° de janeiro a 31 de maio de 2020. Embora, os acidentes com vítimas fatais representam cerca de 3% do total de ocorrências registradas pela concessionária.

No ano de 2013, foram registradas 146 mortes, quando a rodovia não estava sobre a concessionária da iniciativa privada.

Na região norte de Diamantino a Sinop, o número de acidentes do dia 1° de janeiro a 31 de maio de 2020 na BR-163 foi em cerca de 252 acidentes com vítimas, que deixaram 15 mortes. Pois, no mesmo período do ano passado a Rota do Oeste registrou em cerca de 272 casos e o mesmo número de óbitos.

Contudo, os mais variados tipos de atendimentos vão de acidentes graves ao de recolhimento de lixos espalhados na rodovia. Embora, até mesmo de motoristas com problemas elétricos, alcoolismo ou até mesmo mal-estar de saúde. Enfim, a concessionária já realizou mais de 44 mil atendimentos, por dia são em média 310 atendimentos.

Rota do Oeste: medidas para a redução de acidentes

As medidas a serem tomadas para a redução de acidentes nas BR, com as próprias palavras da assessória são: “A prática de direção defensiva, o respeito às leis de trânsito, a manutenção dos veículos são elementos fundamentais para a redução do número de acidentes de trânsito, tanto em rodovias como na área urbana. Com relação à rodovia, a Rota do Oeste segue realizando a manutenção de todo o trecho sob concessão, com foco na restauração de pavimento e reforço da sinalização. Além disso, atua junto à Polícia Rodoviária Federal (PRF) em ações de conscientização dos motoristas”.

Além disso, os acidentes mais frequentes são de pane seca, problemas mecânicos, superaquecimento no motor e vários outros. Enfim, são no total de 18,5 mil atendimentos desses tipos de problemas que a Rota do Oeste vem realizando.

Leave A Reply

Your email address will not be published.