Retrocesso na flexibilização do comércio por causa do COVID-19 em Belo Horizonte começa à partir de segunda-feira (29/06)

O aumento no número de casos de COVID-19 na capital mineira forçou os governantes a tomar uma decisão: retroceder na flexibilização do comércio. Como resultado, é esperada a diminuição da circulação dos cidadãos, em associação com as ações para conscientização da população.

Assim, o cumprimento de todas as medidas sanitárias recomendadas pela OMS, inclusive do fechamento dos serviços não essenciais pela segunda vez, foi anunciado nesta sexta-feira (26/06) pela Prefeitura de Belo Horizonte.

Aumento na transmissibilidade do COVID-19 depois da primeira flexibilização do comércio em BH causa preocupação

Os dados apresentados pelo Boletim do Monitoramento mantêm os órgãos competentes em alertas. Conquanto, a ocupação dos leitos em UTI’s aumentou em 7 pontos percentuais. Assim, o aumento na ocupação dos leitos em Enfermarias também foi surpreendente, ficando em 8 pontos percentuais.

Leia também: PBH efetiva as manutenções de estruturas públicas por toda a cidade, autorizada pela SUDECAP; confira

Esses dados nada mais são do que o efeito de uma circulação maior de pessoas, bem como do relaxamento das medidas recomendadas pela OMS nos últimos dias. Dessa forma, o resultado dessa flexibilização do comércio foi a confirmação de mais de 5.000 casos de COVID-19, muito mais do que a marca projetada anteriormente.

André Reis, secretário municipal do Planejamento, Orçamento e Gestão acredita que tudo isso não é somente por causa do retorno dos trabalhadores aos seus empregos. Pois, com a abertura do comércio houve também um relaxamento de cunho geral quanto ao distanciamento, isolamento e prevenção.

Confira também: O Festival Internacional de Quadrinhos promoverá lives a respeito de produções de quadrinhos durante a pandemia

O que funciona no retrocesso e em quais horários

Com esse retrocesso da flexibilização do comércio, as atividades da fase 1, bem como da fase 2 serão suspensas à partir do dia 29/06, segunda-feira, segundo a indicação do Boletim do Monitoramento. A consulta completa dos estabelecimentos que têm a permissão para funcionar pode ser feita no site da Prefeitura.

O que é permitido funcionar
Padaria 5:00 às 21:00
Hipermercados e supermercados 7:00 às 21:00
Comércio varejista (frios e laticínios)
Hortifrutigranjeiros
Peixaria e açougue
Mercearia, mercadinhos
Armazém
Produtos farmacêuticos Não há restrição quanto ao horário
Produtos farmacêuticos e manipulados
Comércio varejista de ótica
Produtos ortopédicos e médicos
Solventes, tintas e materiais de pintura 7:00 às 21:00
Materiais elétricos, hidráulicos, vidros e ferragens
Madeireiras
Materiais de construção
Combustível para veículos Não há restrição quanto ao horário
Comércio de gás (GLP)
Agências bancárias e de créditos em geral  

 

Não há restrição quanto ao horário

Loterias
Correios
Comércio de produtos animais Não há restrição quanto ao horário
Atividade industrial Não há restrição quanto ao horário
Delivery de comida ou retirada do alimentos no estabelecimento Não há restrição quanto ao horário
Banca de revistas e jornais Não há restrição quanto ao horário

Para saber mais detalhes da flexibilização do comércio e do avanço da doença, basta acessar o site da Prefeitura de Belo Horizonte.

Leave A Reply

Your email address will not be published.