Pesquisadores paranaenses da universidades paranaenses e paulistas irão participar de um estudo genômico, que é grande pioneiro no Brasil e na América Latina. Este estudo é sobre as manifestações clínicas do novo coronavírus, em tipos diferentes de pacientes. Nesta iniciativa estão participando os profissionais da Universidade Estadual do Paraná, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), de Institutos de Pesquisa e de algumas outras universidades do estado de São Paulo

Esses estudos dos pesquisadores paranaenses, se inicia no mês de julho e encarregado da coordenação está o Instituto de Pesquisa para o Câncer, por meio da Rede Genômica. O valor inicial do investimento feito na pesquisa é de 800 mil reais. Sendo, 400 mil reais da Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. Por meio da Unidade Gestora do Fundo Paraná, e 400 mil reais que foram repassados pela prefeitura de Guarapuava.

Você também pode gostar de: Curitiba planeja abrir mais leitos de UTIs; confira

Pesquisadores paranaenses liderando estudo

Então, de acordo com o superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona. O projeto de pesquisa genômica e populacional a respeito do novo coronavírus demonstra um elevado nível técnico e científico dos respectivos pesquisadores das universidades e institutos de pesquisa do Paraná.

Enfim, serão o total de 95 pesquisadores de 11 municípios do Paraná e de São Paulo. Eles irão estudar o comportamento da doença em pacientes com quadro clínico grave e mantidos na UTI com ventilação pulmonar. Os pacientes com o quadro clínico moderado, internados na enfermaria; em pacientes que foram curados sem ter a necessidade de serem transferidos para a UTI, também de pacientes com quadro clínico leve ou assintomáticos.

Confira também: Segundo associação, região metropolitana de Curitiba pode ter um lockdown; confira

De fato, as pesquisas já realizadas demonstraram que pelo menos metade dos indivíduos com Coronavírus. Apresenta sintomas moderados e é curada sem ter a necessidade de hospitalização, 30% desses casos, são assintomáticos.

Em torno de 20% das pessoas infectadas evoluem para a forma mais grave da doença. Sendo assim, necessitam de cuidados hospitalares. Desse total de pacientes, apenas 5% necessitam de atenção intensiva com a ventilação pulmonar.

pesquisadores paranaenses
De fato, os pesquisadores paranaenses lideram estudos do novo coronavírus. (Foto: http://www.aen.pr.gov.br/)

Enfim, para a realização do estudo dos pesquisadores paranaenses, serão coletadas, durante quatro meses. Amostras de sangue e tecidos de 200 pacientes, que serão obtidas de instituições de saúde do Paraná e de São Paulo. Então, entre elas, está o Laboratório Central do Estado do Paraná, em Curitiba. Na Universidade Estadual de Maringá. Um grupo de pesquisa que analisa a citologia clínica e infecções sexualmente transmissíveis irá avaliar a presença do vírus em líquidos como sangue, soro e plasma. Desta forma, irão mapear as diferentes fontes de transmissão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui