Diaconisa na AD Brás Paraíba diz à polícia que Samuel Mariano a assediava por chamadas de vídeo

Top Stories Horóscopo do dia (22/9): tudo sobre os signos de Áries, Touro e Gêmeos

Mais um capítulo da polêmica envolvendo o nome do pastor Samuel Mariano se escreveu nesta última sexta-feira (30). Imagens de um suposto depoimento prestado à Polícia Civil da Paraíba foram divulgadas.

Nele, a mulher, que ocupava o cargo de diaconisa na AD Brás Paraíba, apontada como suposta amante do religioso, conta que foi importunada sexualmente por meio de chamadas de vídeo.

No suposto documento, ela narra que se surpreendeu com Samuel se masturbando ao vivo direto do banheiro de uma instituição ligada à igreja, que tem sede em João Pessoa.

De acordo com o site O Fuxico Gospel, o depoimento foi produto de uma denúncia feita pela igreja por calúnia. A ex-diaconisa teria sido chamada na delegacia para prestar o depoimento que se integraria ao inquérito que apura a suposta denunciação caluniosa. Segundo o suposto documento vazado, a mulher conta que começou a frequentar a igreja a qual o pastor Samuel Mariano era presidente.

Ela diz que ocupou cargo na igreja e que, a partir de problema financeiro que passava, chegou a receber ajuda financeira do pastor, que teria transferido o total de R$ 3 mil, rateado em transferências em diferentes períodos.

Eles teriam começado a trocar confidências, mas nada com cunho sexual até então. Até que, de acordo com o suposto depoimento, a mulher recebe uma chamada de vídeo em que Samuel teria aparecido se masturbando dentro do banheiro de uma instituição ligada à igreja.

A mulher diz que, a partir de então, foram cerca de cinco chamadas de vídeo com conteúdo sexual.

Ainda de acordo com o depoimento, o caso extraconjugal, ainda que virtual, foi descoberto pelo marido da ex-diaconisa. Ele teria resgatado mensagens trocadas entre a esposa e o pastor. A partir de então, a mulher narra que a postura do religioso mudou com ela e ele passou a determinar que ela negasse o que tinha acontecido e destruísse qualquer vestígio de conversa. Ela narra, no suposto documento, tentativas de intimidação, até mesmo por parte de um homem que seria chefe de segurança da igreja.

As imagens desse depoimento viralizaram nas redes sociais e trouxeram à tona o caso que ganhou repercussão no início do mês. Samuel Mariano, a esposa, Isabela Mariano, e a AD Brás ainda não se pronunciaram sobre o vazamento do suposto documento. Os perfis oficiais seguem com os comentários desativados.

Para obter mais conteúdos siga o Diário Prime no Google News.
Através da Portal T5
Comentários
Loading...