Afinal, como transferir dinheiro pelo Pix? Essa é a dúvida que milhares de brasileiros passaram a ter após os bancos e fintechs do país começarem a divulgar, efetivamente, o cadastro para a utilização do novo sistema de transações do Banco Central.

A ferramenta é o novo sistema criado pelo Banco Central do Brasil, que tem como intuito revolucionar a maneira de transferir dinheiro a partir da conta bancária.

Diferentemente do que pode ser imaginado, o Pix não é um aplicativo. Mas sim um novo método de transferências e pagamentos. Ele será vinculado a conta corrente de qualquer banco, fintech ou carteira virtual no qual um cidadão tenha cadastro.

Em meio a tanta divulgação, com ações promocionais dos bancos para que clientes façam cadastro para usar o sistema, será que já é possível fazer transferência com o Pix? Saiba todos os detalhes abaixo.

Como transferir dinheiro pelo Pix? Saiba os detalhes aqui
Como transferir dinheiro pelo Pix? Saiba os detalhes aqui

Leia mais: Para que serve a chave Pix? Entenda sobre o assunto

O Pix já está funcionando?

No dia 05 de outubro, o Banco Central do Brasil abriu o período oficial de cadastro para usar o Pix. Contudo, o serviço ainda não está disponível para o uso da população. O lançamento oficial é apenas no dia 16 de novembro.

Já o período de cadastro foi aberto mais de 40 dias antes, justamente para dar tempo de os bancos conseguirem angariar clientes para a ferramenta e, também, dar tempo para a população conhecer melhor o serviço que entrará em uso.

Como transferir dinheiro pelo Pix quando ele estiver disponível?

Para transferir dinheiro pelo Pix, será necessário, antes de mais nada, cadastrar uma chave. Ela vai funcionar como um apelido que será dada à sua conta corrente ou carteira virtual.

E somente com ela, será possível transferir ou receber dinheiro com a conta que deseja.

Número de celular, CPF, e-mail…

A chave Pix pode ser um número de celular, CPF, e-mail ou uma sequência alfanumérica aleatória criada pelo Banco Central – um conjunto de números, letras e símbolos com 32 caracteres.

A partir daí, para fazer a transferência bastará inserir a chave da pessoa favorecida e, desse modo, concluir a transação em poucos segundos.

Não será mais necessário informar todos os dados de bancários, como agência, conta e número do banco, assim como também não precisará mais informar os dados pessoais do favorecido.

A ideia é de que o Pix chegue ao mercado para substituir a TED e o DOC e se tornar a principal ferramenta de transferências bancárias.

Leia também: Promoção Pix Banco do Brasil: saiba como concorrer a R$ 100 mil

Outros benefícios que trará

Além da praticidade de não precisar mais informar tantos dados no momento de executar uma simples transferência, o Pix também inova por ser um serviço totalmente gratuito para clientes de pessoa física.

Isto é, a população poderá realizar transferências ilimitadas sem pagar mais nenhum centavo por isso, diferentemente dos antigos métodos.

Já as instituições financeiras irão bancar a ferramenta em suas plataformas, pagando 0,01 centavo a cada dez transferências.

Leia ainda: Pix no Caixa Tem: veja como fazer o cadastro pelo aplicativo

O serviço funcionará 24 horas por dia e durante os sete dias da semana, inclusive feriados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui