Investimentos em ouro vale a pena? Conheça as formas de investir nesse ativo

Conheça as vantagens de se investir em ouro e prata nos tempos atuais

Foto do revisor (Quennia Dalila da Silva Mendes)
Revisado por: (Quennia Dalila da Silva Mendes)
Anúncio
Baixe nosso aplicativo GOOD NEWS e desfrute do melhor conteúdo da internet!




Franca, domingo, 13 de março de 2022 – Os investimentos em ouro são muito comuns ao longo da história. De acordo com a Wikipédia, o mercado de ouro, assim como o mercado de ações, integra o grupo dos chamados mercados de risco já que suas cotações variam segundo a lei da oferta e da procura.

Continua depois da publicidade

Assim sendo, a página Humor do Mercado vai explicar três formas principais de investir em ouro, de acordo com a matéria publicada por Isabella Velleda, em 17 de dezembro de 2021 no site da Revista Forbes. E ainda trouxemos uma entrevista exclusiva com Nicolli Morganti, empresária nesse ramo.

Leia também: Com juros mais altos, carro por assinatura pode ser uma boa opção

Investir em ouro vale a pena? Conheça as formas de investir nesse ativo - reprodução: Canva
Investir em ouro vale a pena? Conheça as formas de investir nesse ativo – reprodução: Canva

Durante a pandemia de Covid-19 muito se fala em investimentos em ouro. Afinal ao longo da história o metal foi um porto seguro nos momentos de incerteza. Sendo assim, o ouro é um ativo chave para a carteira de investimentos. Porém, com algumas ressalvas que vamos tratar nesse artigo hoje.

Dessa forma, a escassez do ouro é o que o faz guardar seu valor intrínseco, em contrapartida das moedas locais e ações. Isso porque, diferente do ouro, podem ser fabricadas e ter seu valor corrompido por excesso de oferta e ausência de demanda. De maneira oposta, a demanda pelo ouro é o único fator que pode afetar o preço do ouro: quanto maior, mais a cotação avança.

Como fazer investimentos em ouro?

No entanto, existem várias maneiras de se investir em ouro. Trataremos aqui das 3 maneiras principais: fundos de investimento em ouro, contratos futuros em ouro e aquisição de barras de ouro.

Continua depois da publicidade

Fundos de investimentos em ouro

A primeira, são os fundos de investimento em ouro. Dessa forma, todas as questões operacionais ficam a cargo do gestor do fundo, que possui carteiras expostas a diversos ativos embora majoritariamente a escolha seja o ouro. Existem três tipos de investimentos em ouro. Sendo o último mais vantajoso para investimentos a longo prazo justamente por acompanhar as oscilações de câmbio.

Continua depois da publicidade
  • Real
  • Real e CDI (Certificado de Depósito Interbancário)
  • Dólar

Confira também: Tipos de trades no mercado financeiro: confira as 4 formas de operar

Contratos futuros de ouro

Para quem sabe operar contratos futuros na Bolsa de Valores, é possível adquirir um contrato futuro de ouro na B3 pelo código OZ1. São contratos com preços pré- fixados, onde na data de vencimento o investidor recebe a quantidade acordada no contrato. Dessa forma, o contrato se refere a barras físicas de 250g de ouro fino custodiadas em uma instituição credenciada.

Aquisição de barras

Investir em ouro vale a pena? Conheça as formas de investir nesse ativo - reprodução: Canva
Investir em ouro vale a pena? Conheça as formas de investir nesse ativo – reprodução: Canva

Por fim, você pode investir em ouro de maneira direta adquirindo barras de ouro. Quem opta por investir ouro físico deve se atentar a pureza e certificações, para garantir a liquidez de mercado ao decidir vender.

Além, é claro, do armazenamento do mesmo, que deve ser feito em um local seguro. Diversos investidores possuem o medo de confiscos em meio a grandes crises, por isso muitos preferem a segurança de guardar o próprio ativo, e nesse caso investir em segurança é fundamental.

Para falar um pouco sobre essa forma de adquirir o ativo, a página Humor do Mercado fez uma entrevista exclusiva com Nicolli Morganti, dona da joalheria Morganti e da ReAu, que trabalha com venda de ouro e metais preciosos em barras certificadas e também é uma grande entusiasta do mercado de ouro e metais preciosos, confira:

Em tempos, onde tudo se tornou digital, até mesmo o dinheiro, investir em metais preciosos como reserva de valor não parece meio antiquado? 

“Absolutamente não! Apesar de algumas coisas serem digitais vivemos em um mundo real, onde as pessoas precisam comer, beber etc.  Na verdade, o fim do dinheiro físico só vai aumentar a escassez deste produto na sociedade, já que o dinheiro físico é muito utilizado por empreendedores e os metais preciosos são um importante substituto do dinheiro fiduciário

Assim sendo, ao contrário das coisas digitais as coisas físicas não podem ser produzidas com facilidade, como petróleo, níquel, trigo e metais preciosos. Isso se destaca ainda mais em um cenário igual ao que estamos passando, em que todas essas coisas que citei, tiveram drásticos aumento de preço, enquanto o papel moeda e o dinheiro fiduciário perdem o seu valor.”

Se colocarmos em um papel o rendimento de 1 grama de ouro, e 1 bitcoin ao longo dos últimos 10 anos, qual a vantagem do ouro?

“É importante dizer que ouro, prata e bitcoin são coisas completamente diferentes, o ouro já provou ser um hedge contra crises e inflação e vem sendo utilizado por 6 mil anos. O bitcoin é um ativo extremamente novo, dentre algumas das vantagens dos metais preciosos estão: transações anônimas, o Bitcoin e a maioria das criptos que utilizam blockchain são altamente rastreáveis.

Bem como, imutabilidade, ouro sempre será ouro, prata sempre será prata. Já o Bitcoin pode ter o seu algoritmo e características alteradas. Alta demanda industrial- ouro é muito utilizado na indústria, na parte médica, odontológica, na parte química, joalheria e também na importante indústria de semi-condutores, como chips, fios, sensores, da qual o bitcoin também se beneficia.

Estabilidade e hedge contra a inflação. O ouro pode ter pouca valorização comparado ao bitcoin nos últimos anos, mas é menos volátil e é um investimento mais seguro, enquanto o bitcoin é mais especulativo.

O ouro, ao contrário do bitcoin, não depende de infraestrutura externa, não depende de eletricidade nem de internet, ele é o ativo em si. Além disso o ouro e a prata estão historicamente subvalorizados por manipulações no mercado financeiro, bancos centrais, taxas de juros e etc, mas isso pode mudar nos próximos anos.”

O que uma pessoa que nunca investiu em metais preciosos precisa saber para começar? 

“A primeira coisa é que não é tão caro, ao contrário do que as pessoas acreditam. Na nossa empresa, por exemplo, vendemos ouro, prata, paládio e platina a partir de 1 grama. A segunda coisa é o foco no longo prazo. Ouro e prata são investimentos seguros e com grande rentabilidade.  Por fim, procedência: é importante comprar de fornecedores confiáveis.

Como não cair em golpes nesse mercado? 

” Assim como qualquer outro mercado, sempre está sujeito a pessoas mal-intencionadas (golpistas). Então, acredito que a reputação de um vendedor e seu histórico no mercado deve ser considerada antes de adquirir.

Entretanto existem meios para descobrir se o material é realmente puro, como teste de difração por raio x, ácidos, medidores de condutividade elétrica e etc.”

Gostou das dicas? Ainda tem mais. Para finalizar, assista a esse vídeo abaixo que separamos do  canal “Fernando Ulrich” sobre investimento em ouro. Assim sendo, aprenda um pouco mais sobre esse assunto.

Você também pode gostar:Qual o melhor banco digital? Conheça tudo antes de tomar sua decisão

 

Carregando comentários aguarde...
...
...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler

Política de Privacidade e Cookies