Diferentemente do que vinha acontecendo desde abril, o PicPay está cobrando taxa para depósitos feitos na carteira virtual a partir do cartão de débito virtual do Caixa Tem.

Desde o início do programa de auxílio emergencial, há seis meses, o PicPay era uma das principais alternativas encontradas pelos beneficiários para conseguir obter o dinheiro antes do prazo determinado pela Caixa para saques e transferências.

Com o PicPay, é possível depositar todo o dinheiro que está disponível no Caixa Tem utilizando o cartão de débito virtual oferecido pela própria plataforma do benefício. Esse processo leva poucos segundos e o dinheiro cai na carteira virtual de forma imediata.

Contudo, a taxa que começou a ser cobrada incomoda usuários do aplicativo, tido como uma das referências entre as carteiras virtuais brasileiras.

Picpay está cobrando taxa para depósitos do auxílio emergencial; entenda
Picpay está cobrando taxa para depósitos do auxílio emergencial; entenda (Foto: Reprodução / PicPay)

Leia mais: Como funciona o Picpay: entenda o que é e para que serve o aplicativo

PicPay está cobrando taxa para depósitos do auxílio emergencial

A taxa cobrada pelo PicPay é de 1,99% por cada depósito feito utilizando o crédito disponível na poupança social digital, o Caixa Tem, que é usada pelo banco federal para repassar os recursos do auxílio emergencial.

Com essa taxa, o depósito que antes podia ser feito gratuitamente agora sofre uma cobrança de quase 2%.

Isso equivale a até R$ 24 em depósitos feitos por mães solteiras, que recebem parcelas de R$ 1.200 nos cinco primeiros meses do programa emergencial.

Para quem recebe R$ 600, a taxa cobrada pelo PicPay é de R$ 12.

Já para quem deposita R$ 300, que é o novo valor do auxílio a partir da sexta parcela, a cobrança é de R$ 6.

Leia também: Usuários relatam erros ao transferir FGTS para Picpay; saiba detalhes

Por que o PicPay está cobrando pelo serviço que era gratuito?

Através de nota que está sendo repassada para a imprensa, a empresa brasileira afirma que apenas está seguindo o padrão de outras empresas concorrentes.

Por exemplo, o Mercado Pago também está cobrando R$ 12 para quem deposita R$ 600 do auxílio emergencial. No caso do PagBank, empresa do grupo UOL, a taxa chega aos R$ 10.

“No caso de transferência para a carteira por meio do cartão da Caixa, passamos a cobrar, nesta semana, a taxa de 1,99%, seguindo o padrão das demais carteiras digitais”, explica, assim o PicPay.

Mas, ainda há como depositar dinheiro do auxílio emergencial gratuitamente no PicPay

Na mesma nota em que explica o motivo de estar cobrando uma taxa para depósitos feitos com o cartão de débito virtual Caixa Elo, o PicPay também garante a gratuidade para quem usa boleto bancário.

Para fazer o depósito por boleto, o procedimento é semelhante ao do cartão de débito.

Basta acessar a plataforma PicPay, clicar na opção “carteira” e inserir dinheiro utilizando boleto bancário. Contudo, o dinheiro só pode ser utilizado cerca de um a dois dias depois.

“Desde o início do pagamento do auxílio emergencial, o PicPay vem oferecendo a possibilidade de transferir o valor do benefício para a carteira digital de forma gratuita, absorvendo todos os custos de operação. Esta modalidade sem custos continua disponível para a operação por meio de boleto bancário”, diz a empresa.

Continue lendo e saiba como: Como gerar boleto no PicPay e pagar no Caixa Tem; saiba agora mesmo

O PicPay pode ser usado tanto por beneficiários do auxílio emergencial, como também por trabalhadores com direito ao saque do FGTS.

Nos dois casos, o dinheiro repassado pelo governo é enviado ao Caixa Tem e, posteriormente, pode ser depositado na carteira virtual.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui