Consórcio ou financiamento de imóvel? Essa é a dúvida de muitas pessoas que estão no mercado em busca da melhor opção para adquirir uma casa própria ou um imóvel comercial.

A escolha do melhor método para avançar na compra de uma casa própria deve ser estudado e bem pensado para que não hajam surpresas ou decepções sobre a forma de pagamento no futuro.

Com isso, uma série de fatores devem ser levados em conta antes de a escolha ser concluída. De preferência, um auxílio de um profissional especializado no assunto, e sem ligação com uma das duas ofertas, é indicado.

Consórcio ou financiamento imóvel? entenda como funcionam e quais as diferenças
Consórcio ou financiamento imóvel? Entenda como funcionam e quais as diferenças (Foto: Freepik)

Mostraremos, portanto, as diferenças entre as duas formas de contrato para um imóvel.

Consórcio ou financiamento de imóvel? Qual o melhor?

Primeiramente, é necessário dizer que não há uma opção melhor do que a outra, necessariamente. Mas sim tipos de contratos diferentes para resolverem demandas de  públicos com características e necessidades distintas. Portanto, o que existe é um modelo de negócio que vai se encaixar melhor para um determinado perfil financeiro.

Como funciona o financiamento de imóveis

Financiamentos geralmente são feitos através de bancos e é uma opção bastante buscada por quem está com a intenção de adquirir um imóvel. Pode-se afirmar, inclusive, que é a opção mais popular.

Atualmente, existem diversas opções de financiamentos para todos os perfis. A Caixa Econômica Federal, por exemplo, se notabiliza por oferecer opções para público de baixa renda. Como por exemplo, através do programa governamental, o antigo minha Casa Minha Vida, que se tornou “Casa Verde e Amarela”.

Adquirir uma casa através de financiamento significa que o banco vai emprestar o dinheiro da aquisição para o comprador.

Após a assinatura do contrato, o banco fará a compra do imóvel junto ao vendedor. A partir daí, o comprador fará o pagamento do valor de entrada e, em seguida, das parcelas da dívida que o banco quitou, com juros e encargos.

O prazo máximo para um contrato de financiamento costuma ser de 35 anos. Assim, o comprador terá de pagar parcelas mensais até a quitação total do valor pago pelo banco.

Vale ressaltar a necessidade de pagar um valor de entrada, que dependerá do contrato assinado com o banco.

Como funciona o consórcio de imóveis

O método de consórcio é totalmente diferente do contrato de financiamento.

Nesse caso, é um tipo de operação onde o banco ou empresa que faz o consórcio não tem direito a colocar juros ou encargos nas parcelas.

Isso porque, trata-se de um contrato que reúne várias pessoas através de empresas especializadas em um grupo, em que todos os associados possuem o mesmo interesse.

Assim, mensalmente todos os membros do consórcio pagam mensalmente o valor fixo mensal inicialmente acordado, junto com uma taxa de administração.

Outro fator que difere o consórcio do financiamento é que o imóvel não é adquirido no mesmo momento em que se assina o contrato.

No consórcio, cada membro precisa aguardar a sua vez de ser contemplado com a cartão de crédito que lhe permitirá fechar a compra do imóvel.

Além disso, é possível dar lances para conseguir a carta.

Portanto, há menos taxas e não é necessário dar um valor de entrada. Porém, pode ser um processo mais demorado para conseguir obter o imóvel desejado.

No caso do financiamento, a agilidade do processo é um fator que pode ser fundamental para a escolha. Contudo, a necessidade de entrada e os juros podem fazer o consórcio levar alguma vantagem neste ponto.

De qualquer forma, é fundamental ter cuidado na hora de assinar qualquer tipo de contrato. O consumidor deve conhecer os detalhes dos modelos de negócio e também sobre o seu real perfil financeiro para escolher melhor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui