O Brasil segue contabilizando mais de mil mortes diariamente pela Covid-19. Em meio à crise sanitária, uma ferramenta para combate à doença foi lançada: o aplicativo coronavírus SUS. Saiba mais, portanto, nesta sexta-feira (6) sobre o recurso implementado pelo Governo Federal.

Aplicativo coronavírus SUS
Aplicativo coronavírus SUS

O novo aplicativo é promovido em uma parceria entre Ministério da Saúde do Brasil, Google e Apple e conta com uma tecnologia que se chama “API Exposure Notification”.

Isto é, se trata de um aplicativo que conta com um sistema de notificações de exposições, que facilitam a localização e rastreamento de pessoas que tiveram sintomas ou testaram positivo para a Covid-19 nos últimos 14 dias.

A tecnologia foi desenvolvida em conjunto por Google e Apple. Maiores rivais no mercado, as duas gigantes se uniram em combate a uma doença que tem atingido todo o mundo.

Leia mais: SUS já tem data para receber vacina contra a Covid-19; entenda mais

Como funciona o aplicativo coronavírus SUS?

O aplicativo funcionará com base em informações que serão divulgadas pelos próprios usuários.

Na prática, o cidadão com resultado positivo para a Covid-19, que possuir o aplicativo em seu celular, irá informar de forma voluntária para alertar que contraiu a doença.

Toda divulgação é feita de maneira anônima. Nenhum dado relacionado a quem testou positivo é revelado.

Isso porque o aplicativo não registra dados pessoais e nem de contatos telefônicos. Ele funciona a partir de bluetooth, que detecta quando dois dispositivos estão próximos e guarda essa informação por 14 dias.

Assim,  um cidadão, que possuir o app e receber a notificação, poderá procurar ajuda médica por saber que esteve próximo a alguém que testou positivo para a doença, mesmo sem saber quem é.

Mas para funcionar é necessário ter o aplicativo baixado no celular, assim como também o bluetooth ligado.

Qualquer pessoa pode informar que testou positivo?

No entanto o Ministério da Saúde também toma cuidados para que não haja divulgação de informações falsas.

Assim, somente pessoas com exame PCR ou sorológico validado como positivo para a doença poderão informar no aplicativo, a partir de um código de número (token) que será emitido pelo próprio Ministério da Saúde.

Além disso, toda informação divulgada no app passará por avaliação do próprio Ministério, que cruzará os dados registrados no aplicativo com a base da Rede Nacional de Dados em Saúde.

Leia também: Nova prorrogação do Auxílio vai acontecer? Saiba aqui tudo sobre o assunto

Tecnologia já é utilizada em outros países que controlaram a disseminação do vírus

O novo sistema de notificações de exposições já vinha sendo utilizado por países europeus que controlaram a pandemia, como Alemanha e Itália. Na América Latina, o Uruguai também tem feito o uso do serviço.

Cuidado com Fake News

O Ministério da Saúde também alerta aos usuários sobre possíveis Fake News ou tentativas de golpe com o uso do aplicativo.

Isso porque o aplicativo não irá se comunicar por meio de texto, tampouco por áudio ou telefonemas. Apenas através das notificações enviadas pelo próprio app.

Portanto caso um usuário seja procurado ou tenha dados solicitados por uma outra plataforma, parecendo ser do aplicativo, não deve levar em consideração.

Leia ainda: BNDES contra o Coronavírus: veja as medidas do banco durante a pandemia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui