07/07/2020 – Prorrogação do auxílio emergencial para mães solteiras – Desde abril, quando a pandemia pelo novo Coronavírus foi anunciada no país, o Governo Federal tem beneficiado trabalhadores que exercem suas funções na informalidade, cuja renda foi diretamente prejudicada em razão da crise econômica e na saúde pública. Dessa forma, a ajuda temporária de R$ 600, inicialmente pensada para ser paga durante três meses, foi prorrogada até agosto; ou seja, terá mais duas parcelas.

Além dos trabalhadores informais e beneficiários do Bolsa Família, mães chefes de família também são atendidas pelo programa.

Prorrogação do auxílio emergencial para mães solteiras: confira o valor
Prorrogação do auxílio emergencial para mães solteiras: confira o valor – Imagem: Divulgação/gov.br

Portanto, confira se as próximas duas parcelas para as mães solteiras continuarão sendo pagas com o mesmo valor.

Leia ainda: Prorrogação do auxílio emergencial Bolsa Família é confirmada e tem valor definido

Prorrogação do auxílio emergencial para mães solteiras

Na última terça-feira (30), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), junto com o ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou que o auxílio emergencial será estendido por mais dois meses.

Em uma ocasião, o presidente afirmou que vetaria a proposta do Congresso, caso a instituição fixasse o valor e R$ 600 para a prorrogação do auxílio.

Contudo, o presidente concordou com o valor, e o governo arcará com as despesas.

Porém, serão reavaliados os cadastros dos beneficiários que receberam as três parcelas. O objetivo, claro, é o de desligar as pessoas que deixarem de cumprir os requisitos de participação.

Dessa maneira, as duas parcelas extras serão pagas em julho e agosto e serão no mesmo valor, 600 reais, para as categorias atendidas; e 1.200 reais para as mães solteiras.

De acordo com o Ministério da Cidadania, todos os beneficiários que se enquadram no programa vão receber as parcelas extras e aqueles que se cadastraram ainda neste mês, irão receber todas as 5 parcelas.

Portanto, a legislação que rege o auxílio emergencial (Lei nº 13.982, de 2 de abril de 2020) não modifica o valor recebido pelas mulheres chefes de família; sendo assim, elas receberão como nos meses anteriores, totalizando R$ 2.400 nos dois meses da prorrogação.

Lei do auxílio emergencial facilita a permanência dos 600 reais

Ao falar de uma possível prorrogação do auxílio, o presidente defendia um valor inferior ao que vinha sendo pago.

Assim, o governo cogitou pagar três parcelas decrescentes no valor de R$ 500, R$ 400 e R$ 300, de julho a setembro.

No entanto, para modificar o valor do auxílio, era preciso editar uma MP (Medida Provisória) ou criar um PL (Projeto de Lei); visto que a lei do auxílio determina o valor de R$ 600.

Portanto, o governo optou pela saída mais rápida e diplomática, evitando atritos políticos e maiores desgastes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui